6.9.06

Este blogger foi desenvolvido pelos acadêmicos Cristine Maria Almeida, Renata Bergonzi, Ubirajara de Almeida e Carolina Katty Jochims Arigon do curso de Engenharia ambiental a fim de pesquisa sobre aquecimento global pela cadeira de informática aplicada com o professor Emigdio Henrique C. Engelmann.







Introdução

O aquecimento global é um processo natural ocasionado pelo efeito estufa, que se não houvesse, a terra esfriaria a temperaturas extremamente baixas. Porem, a atividade humana esta acelerando o processo do aquecimento global provocado pelas emissões de gases de efeito-estufa (dióxido de carbono, metano, Clorofluorcarbonos), diz-se que há 11 milhões de anos a atividade agrícola iniciou a alteração do ambiente, a explosão demográfica, a industrialização, e outras atividades humanas podem estar acelerando o processo de elevações dos oceanos, enchentes em algumas regiões enquanto que em outras a seca vem prejudicando a agricultura, cidades sufocadas pela poluição são reflexos da ação do homem. Os cientistas ainda não conseguem prever quando mudanças climáticas bruscas (mudança glacial) ocorrerão, um dos empecilhos ás previsões têm a ver com a própria natureza da mudança acelerada. O aquecimento global causado pelo homem tem profundas implicações ambientais, econômicas, políticas e sociais.

Industrialização e Expansão agrícola



A explosão demográfica ocasionou a expansão agrícola, para alimentar o grande número populacional e a geração de energia para suprir as necessidades. As pesquisas da época levaram a industrialização sem o conhecimento e comprometimento com o meio ambiente. A industrialização ao longo dos anos emite para a atmosfera muitos gases e aerossóis que aumentaram sensivelmente a camada formadora do efeito estufa. Os principais gases formadores do efeito estufa são: Gás carbônico, Metano e Óxido nitroso, entre outros de menor emissão. A queima de combustíveis fósseis, a decomposição orgânica e a queima de produtos orgânicos são os grandes emissores destes gases.





Aquecimento global

Conforme na edição especial da revista Scientific Américan o aumento do efeito estufa, os aerossóis e os buracos na camada de ozônio provocam o aquecimento de todo o globo. Nos últimos dez anos tem aumentado 0,6ºC a temperatura média e tem previsão de aumentar 1ºC a cada 10 anos. A disposição dos aerossóis, fazem diminuir ao extremo as temperaturas da Europa e norte da América e esquentar exageradamente nos pólos como mostra a figura abaixo.



Chuva ácida



A chuva ácida é uma das principais conseqüências da poluição do ar, é provocada principalmente por fábricas e carros que queimam combustíveis fósseis liberam resíduos gasosos, como óxidos de nitrogênio e de enxofre. A reação dessas substâncias com a água forma ácido nítrico e ácido sulfúrico, presentes nas precipitações de chuva ácida. A chuva torna-se ligeiramente ácida, quando atinge um pH próximo a 5,6.

Os efeito das chuvas ácidas afetam de forma intensa os lagos, deixando-os totalmente acidificados perdendo toda a sua vida, assim como, podem destruir florestas através da lixiviação dos nutrientes como magnésio e potássio pelo percolado ácido desta forma também atingem a agricultura enfraquecendo a plantação ou na pior das hipóteses matando a vegetação, a chuva acida acelera a corrosão de materias utilizados na construção civil.

Alguns métodos de evitar a chuva ácida seria utilizar transporte coletivo, utilizar fonte de energias renováveis, purificação dos escapamentos dos veículos eutilizarem combustíveis com baixo teor de enxofre.


Derretimento das camadas geladas do planeta

O aquecimento global está derretendo a camada de gelo no ártico, no sul e as geleiras das cordilheiras geladas. Os pólos já diminuíram consideravelmente suas áreas, prejudicando a sobrevivência das espécies, diminuindo o resfriamento das correntes marinhas e provocando a acidificação do oceano. O descolamento de enormes blocos de gelo tem prejudicado inclusive a navegação, pois sendo o gelo mais denso a maior parte fica submersa, podendo provocar acidentes de navegação. A acidificação do oceano está prejudicando a cristalização da carapaça dos moluscos das encostas geladas e com isso facilitando a eliminação das espécies pelos predadores. Quebrando a primeira fase da cadeia alimentar da região o que já esta prejudicando inclusive a sobrevivência dos ursos polares.




Influência do aquecimento nas correntes marinhas



Tomando por exêmplo a circulação convectiva do atlantico norte, temos que as águas quentes das regiões equatoriais sobem em direção ao nórte, até chegarem próximo a Groenlândia, onde por serem geladas e frias se tornam mais dênsas e submérgem, retornando pelo assoalho marinho. Esta movimentação gera ventos de menor velocidade, dando um equilíbrio de temperatura e clima as regiões. Porem esta circulação está sendo desligada pelo dejelo dos polos que não esta esfriando o suficiente as águas, e ésta está retornando pela superfície marinha ocasionando o desligamento da circulação. O resultado deste fenômeno são os inumeros furacões na américa do norte e américa central inclusive o primeiro furacão do sul do Brasil.O aquecimento global pode trazer conseqüências graves para os gaúchos e catarinenses. Segundo uma simulação realizada por pesquisadores britânicos, em um cenário de elevação da temperatura a costa do Rio Grande do Sul e Santa Catarina seria uma das regiões mais vulneráveis a tempestades severas no globo. Há indícios que isso já esteja ocorrendo. A área apontada como mais sensível pelo estudo britânico corresponde exatamente ao rota do Catarina, o primeiro furacão já registrado no Atlântico Sul, que assolou o Brasil meridional em março de 2004 e deixou atônitos climatologistas de todo o planeta. Como a temperatura do oceano é o grande combustível dos furacões, cientistas acreditam que o Catarina já foi um feito do aquecimento global.O temor agora é de que ele tenha sido apenas o primeiro de uma série. O Catarina nasceu de forma inédita, a partir de um ciclone extra tropical – um sistema que se forma muitas vezes ao longo do ano no litoral dos dois estados sulinos, trazendo tempestades a região.






Furacão Catarina
O primeiro furacão de que se tem notícia no sul do oceano atlântico foi denominado Catarina.Em 27 e 28 de março de 2004 a população do sul doEstado brasileiro de
Santa Catarina foi alertada para o fato de que se aproximava um ciclone. O que ninguém esperava é que este seria o primeiro furacão historicamente registrado no Atlântico Sul. Houve polêmica quanto à classificação, mas posteriormente o fenômeno foi comprovado como sendo um furacão. Observadores da UFSC registraram as temperaturas e constataram que as característica correspondiam à definição da NOAA: um furacão de categoria 1 de acordo com a Escala de Furacões de Saffir-Simpson.

5.9.06


No Brasil


Somos um país tropical e por isso com um solo e condições climáticas favoráveis para a agricultura. Porem, temos algumas regiões que por questões geológicas não são tão produtivas atualmente. O crescimento agrícola então devastou e continua devastando grandes áreas, principalmente na região amazônica. A mata atlântica e o serrado já diminuíram consideravelmente se tomarmos as últimas décadas. Essas ações contribuíram e continuam contribuindo para o agravamento do efeito estufa, já que se conciderar-mos as queimadas estamos em 4º lugar no mundo em emissão de CO2. Contribuímos com as queimadas da Amazônia com o agravamento dos ventos que provocam o El Ninho e La Ninha, comprovados pela maior seca já vista na região Amazônica como a de 2005, secas prolongadas no Sul do Brasil e enchentes cada vês piores na região sudeste. As chuvas que tinham características prolongadas, hoje são torrenciais e de curta duração o que dificulta a absorção e escoamento alagando grandes regiões. Por sermos um país tropical, no sul, tínhamos as estações do ano bem definidas, hoje as estações estão todas misturadas com calor no inverno e frio no verão. Na agricultura já perdemos muitas áreas que eram produtivas e não o são atualmente ou o risco de plantio aumentou muito. Se aumentar mais ainda a temperatura no globo, podemos nos tornar um país de baixa produtividade agrícola.

O que Podemos

FazerNós da área Ambiental devemos primeiro nos reeducar, quanto ao consumo de: água, energia, produto que necessitam de muita água para sua geração, consumo de papel e principalmente do consumo de combustível fóssil. Sensibilizar e reeducar outras pessoas, esclarecendo do que está acontecendo com o planeta. Temos que gerenciar melhor o lixo tanto doméstico quanto o urbano, industrial, para diminuirmos a emissão do gás metano. Projetarmos e executarmos ações de preservação das matas nativas e reflorestar, principalmente as nascentes e mata ciliar, para garantirmos água e preservar os corredores da fauna. Reclamamos quando vemos o desmatamento da Amazônia, mas somos 180.000.000 de brasileiros e poucos se lembram de plantar novas árvores, seja num bosque ou nos fundos de nossas casas. Realmente precisamos reeducar quanto a preservação, adotando em todas as nossas atividades um modo sustentável.

4.9.06



Derretimento das camadas geladas do planeta
O aquecimento global está derretendo a camada de gelo no ártico, no sul e as geleiras das cordilheiras geladas.Os pólos já diminuiram consideravelmente suas áreas, prejudicando a sobrevivência das espécies, diminuindo o resfriamento das correntes marinhas e provocando a acidificação do oceano. O descolamento de enormes blocos de gelo tem prejudicado inclusive a navegação, pois sendo o gelo mais denso a maior parte fica submerça, podendo provocar acidentes de navegação. A acidificação do oceâno está prejudicandoa cristalização da carapaça dos moluscos das encostas geladas e com isso facilitando a eliminação das espécies pelos predadores. Quebrando a primeira fase da cadeia alimentar da região o que já esta prejudicando inclusive a sobrevivência dos urços polares.



Aquecimento global
Conforme na edição especial da revista Scientific Américan o aumento do efeito estufa, os aerossóis e os buracos na camada de ozônio provocam o aquecimento de todo o globo. Nos últimos déz anos tem aumentado 0,6ºC a temperatura média e tem previsão de aumentar 1ºC a cada 10 anos. A disposição dos aerossóis, fazem diminuir ao extremo as temperaturas da europa e nórte da américa e esquentar exagaradamente nos polos como mostra a figura.

Industrialização e Expansão agrícola
A explosão demográfica ocasionou a expansão agrícola, para alimentar o grande número populacional e a geração de energia para suprir as necessidades. As pesquisas da época levaram a industrialização sem o conhecimento e comprometimento com o meio ambiente. A industrialização ao longo dos anos emite para a atmosfera muitos gases e aérossóis que aumentaram sensivelmente a comada formadora do efeito estufa.Os principais gases formadores do efeito estufa são: Gâs carbônico, Metano e Óxido nitroso, entre outros de menor emição. A queima de combustiveis fósseis, a decomposição organica e a queima de produtos orgânicos são os grandes emissores destes gases.

24.8.06














Introdução
O aquecimento global é um processo natural ocasionado pelo efeito estufa, que se não houvesse, a terra esfriaria a temperaturas extremamente baixas. Porem, a atividade humana esta acelerando o processo do aquecimento global provocado pelas emissões de gases de efeito-estufa (dióxido de carbono, metano, Clorofluorcarbonos), diz-se que há 11 milhões de anos a atividade agrícola iniciou a alteração do ambiente, a explosão demográfica, a industrialização, e outras atividades humanas podem estar acelerando o processo de elevações dos oceanos, enchentes em algumas regiões enquanto que em outras a seca vem prejudicando a agricultura, cidades sufocadas pela poluição são reflexos da ação do homem. Os cientistas ainda não conseguem prever quando mudanças climáticas bruscas (mudança glacial) ocorrerão, um dos empecilhos ás previsões têm a ver com a própria natureza da mudança acelerada. O aquecimento global causado pelo homem tem profundas implicações ambientais, econômicas, políticas e sociais.